domingo, 11 de novembro de 2012

Motorista é filmado arrastando um bezerro vivo, em MG


11 de novembro de 2012

Um morador filmou no último sábado, 10, o motorista de uma caminhonete arrastar um bezerro vivo, por ruas e rodovias de acesso a Uberaba, em Minas Gerais. De acordo com o site G1, as filmagens foram entregues à Sociedade de Proteção aos Animais.


Foto: Divulgação

Segundo a reportagem, a Polícia Militar alega que nenhum boletim de ocorrência (B.O) foi registrado. O motorista pode ser condenado com base na Lei Federal de Crimes Ambientais 9.605, de 1998, que tem pena para abuso ou maus-tratos a animais domésticos ou silvestres, nativos ou exóticos, de três meses a um ano de prisão e multa.

Além do crime de maus-tratos, o motorista ainda pode ser autuado, segundo o Código de Trânsito Brasileiro, Art. 235, que declara como infração grave, com multa e medida administrativa de retenção do veículo, o ato de conduzir pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, salvo nos casos devidamente autorizados.

Mensagens de denúncia e repúdio já circulam nas redes sociais.

Veja o vídeo da reportagem aqui.

http://www.anda.jor.br/11/11/2012/motorista-e-filmado-arrastando-um-bezerro-vivo-em-mg

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Proteste: Americana recebe final de rodeio da Brahma


A Brahma continua sendo uma das empresas que mais patrocinam a crueldade aos animais nos rodeios. Vamos continuar protestando: preencham um formulário em


http://www.brahma.com.br/sac/?ao_confirm

------------------------
Americana recebe final de rodeio da Brahma

Qui, 08 de Novembro de 2012 08:41



Americana será palco da grande final do Brahma Super Bull PBR. O maior campeonato de Montaria em Touros do Brasil vai pagar um prêmio de 1 milhão de reais para o campeão. Mais duas atrações já estão confirmadas para garantir a festa do público de Americana e região. A noite de sexta-feira, 23, será animada com a apresentação de Gusttavo Lima e Zezé de Camargo e Luciano.

Outras duas noites já estão com a diversão garantida. Já no primeiro dia de festa, na quinta-feira, 22, um festival que reúne seis atrações vai fazer a alegria dos fãs da música sertaneja. O “Sertanejo Mega Night” vai apresentar Cristiano Araújo, Munhoz e Mariano, Thaeme e Thiago, Zé Ricardo e Thiago, João Neto e Frederico e Carlos e Jader. E o sábado, 24, promete muita festa com a apresentação do cantor country norte-americano Alan Jackson.

veja a reportagem completa em:

http://www.pauliniavip.com.br/noticiass/3408-americana-recebe-final-de-rodeio-da-brahma

domingo, 21 de outubro de 2012

Curso técnico de escola de Canoas (RS) explora e mata gatos em aulas de vivissecção


Pedagogia da desumanidade
Curso técnico de escola de Canoas (RS) explora e mata gatos em aulas de vivissecção
21 de outubro de 2012

Por Robson Fernando de Souza (da Redação)


Aluna segura pele de gato esfolado depois de aula no curso técnico de Química do Colégio Luterano Canoas. Foto: Arte Anda/Divulgação/Facebook

Um caso de vivissecção vem revoltando o Brasil. Está acontecendo no Colégio Luterano Concórdia, no município de Canoas (RS), e envolve a exploração e matança de gatos em aulas do curso técnico de Química.

Em fotos reproduzidas no Facebook, alunas aparecem segurando cabeças e patas decepadas de gatos que haviam sido vivisseccionados e mortos nas aulas. Em outra foto, aparece um gato dissecado, de tronco aberto e com as entranhas à mostra. Em outra, uma aluna mostra a pele de um outro gato, que havia sido esfolado.


Aluna brinca com cabeça decepada de gato, em laboratório do colégio. Foto: Arte Anda/Divulgação/Facebook

E o pior de tudo é que tudo isso é permitido pela Lei 11.794/2008 , mais conhecida como Lei Arouca. Outrora, a vivissecção era proibida em cursos de nível médio, de educação básica ou profissionalizante, mas, com a sanção da Lei Arouca, a lei 6.638/1979, que estabelecia essa proibição, foi revogada e a exploração de animais para fins educacionais se tornou permitida em “estabelecimentos de educação profissional técnica de nível médio da área biomédica”, conforme o Artigo 1º, § 1º, inciso I da lei mais recente – supondo-se que o curso de Química também pode ser voltado para fins biomédicos.

Mas, como todos os defensores animais sabem, nem tudo que é legal é ético e moral. As imagens mostram como os alunos do curso do colégio em questão vêm sendo acostumados a serem totalmente frios e desumanos contra os animais não humanos. Mostra-se como eles vêm aprendendo a ser profissionais descompromissados com o respeito à vida (animal humana e não humana) e com a ética profissional das profissões que irão trilhar com sua formação técnica em Química.

O colégio em questão também vem se mostrando ao Brasil como um exemplo negativo de formação ético-moral de seus alunos, ao não só explorar animais como se fossem objetos e descartar suas vidas como lixo, mas também a brincarem com cadáveres e pedaços decepados dos mesmos, tratando a vida animal humana e não humana como algo fútil, descartável e sem qualquer valor intrínseco.


Pata arrancada de cadáver de gato, em aula prática no curso técnico de Química do colégio de Canoas. Foto: Divulgação/Facebook

É possível realizar três formas de protesto:
a) E-mails denunciando a postura do colégio e de seus alunos em promover o desrespeito e banalização da vida devem ser enviados ao e-mail 27cre@seduc.rs.gov.br, da coordenadoria regional de educação de Canoas;
b) Mensagens de repúdio podem ser enviadas à página do Colégio Luterano Concórdia no Facebook e ao e-mail do mesmo, de modo que os responsáveis pelo colégio saibam que a opinião pública é contrária à educação anti-humanista e anti-humanitária que a instituição vem promovendo;
c) Protestos das entidades de defesa animal do Rio Grande do Sul precisam marcar protestos na frente da escola, contra a postura da instituição de explorar e matar gatos para fins ditos educativos.



http://www.anda.jor.br/21/10/2012/curso-tecnico-de-escola-de-canoas-rs-explora-e-mata-gatos-em-aulas-de-vivisseccao

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

(vídeo) Adolescentes fazem vídeo de tortura de gato no Ceará


vídeo em http://noticias.r7.com/cidades/noticias/adolescentes-fazem-video-de-tortura-de-gato-no-ceara-20120926.html
Adolescentes fazem vídeo de tortura de gato no Ceará
Menores ateiaram fogo no animal por diversão e registraram as cenas em celular
Do R7, com Balanço Geral


Assista ao vídeo:

http://noticias.r7.com/cidades/noticias/adolescentes-fazem-video-de-tortura-de-gato-no-ceara-20120926.html

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Unifesp acusada de torturar e sacrificar saguis

Universidade provoca indignação ao pedir os animais para pesquisa a entidades protetoras dos bichinhos
PLÍNIO DELPHINO
pliniod@diariosp.com.br
Santuario Rancho dos Gnomos
No Rancho dos Gnomos, animais resgatados de acidentes ou nas mãos de traficantes

A comunidade protetora de animais está perplexa com a solicitação que recebeu da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), por intermédio do Ibama e da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, a entidades mantenedoras de fauna silvestre: a doação de saguis para experimentos científicos na faculdade de medicina, em testes a serem realizados para combater a epilepsia e mal de Parkinson.

Segundo os protetores, essas pesquisas são torturantes e o culminam com o sacrifício da cobaia. “O governo não nos dá um tostão. Nós investimos nosso tempo, dedicação, carinho, respeito e dinheiro para resgatar a dignidade dos animais silvestres que nos confiam (em depósito judicial) de todo o país. Não recebemos nenhuma verba. Cuidamos dos animais pensando em um dia entregá-lo à natureza da melhor forma, ou, se isso não é possível, de dar-lhes o melhor tratamento. Quase 90% foram vítimas de tráfico e foram maltratados e mutilados de tal maneira que a recuperação é lenta e difícil”, conta Sílvia Pompeu, de 50 anos, fundadora do Rancho dos Gnomos, que há 21 anos cuida de animais silvestres em Cotia, na Grande São Paulo.

(...) Veja a reportagem completa em:

http://diariosp.com.br/noticia/detalhe/32360/Unifesp+acusada+de+torturar+e+sacrificar+saguis

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

(SE) Pata de cachorro pode ter sido arrancada com facão


Posterior direita estava necrosada.
Após procedimento cirúrgico animal passa bem.
Flávio Antunes
Do G1 SE

Cachorro pode ter sido mutilado por dono
(Foto: Divulgação/Lagartense)
A perna de um cachorro pode ter sido arrancada com um facão no povoado Brasília, município de Lagarto, região Centro Sul de Sergipe. Segundo a presidente da organização S.O.S animais, Vera Silva, o possível dono do cachorro teria praticado tamanha crueldade.
“Nós estávamos em uma reunião quando fomos informados através de uma denúncia os maus tratos que um cachorro tinha sofrido. Ao nos deslocarmos para o povoado, os moradores da região nos disseram que o proprietário do animal tinha mutilado a pata traseira do cão com um facão. Questionamos sobre o proprietário, mas infelizmente ninguém quis denunciá-lo”.

(...) Veja a reportagem completa em
 http://g1.globo.com/se/sergipe/noticia/2012/09/pata-de-cachorro-pode-ter-sido-arrancada-com-facao.html

sábado, 1 de setembro de 2012

(testes) Após 50 anos: Fabricante de talidomida se desculpa e gera reação


Nota sobre o texto abaixo: a talidomida é um exemplo real da mentira que é a vivissecção. O medicamento foi testado em animais e não deu problemas... Mas em humanos foi uma tragédia. A vivissecção (testes em animais) é uma frande científica e não garante em nada que o medicamento não causará danos aos humanos.
A vivissecção é até um entrave para o progresso da ciência porque retarda a cura das doenças.
João
-------------------------------------------

Fabricante de talidomida se desculpa e gera reação


Fabricante se desculpa 50 anos depois de provocar primeiros casos de malformações e gera reações por parte das vítimas

01/09/2012
France Press  
As primeiras desculpas apresentadas pela empresa farmacêutica alemã fabricante da talidomida às milhares de vítimas do medicamento, 50 anos depois dos primeiros casos de malformações, provocaram neste sábado uma onda de consternação nos países afetados por este desastre farmacêutico.

O diretor executivo da Grunenthal, Harald Stock, afirmou em um discurso na sexta-feira que a empresa 'sente muito' pelo silêncio a respeito das vítimas da talidomida, um produto que era vendido nos anos 50 e 60 às mulheres grávidas para acalmar as náuseas matinais durante a gravidez.

(...) Veja o texto completo em

http://www.rac.com.br/noticias/mundo/143353/2012/09/01/fabricante-de-talidomida-se-desculpa-e-gera-reacao.html

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Manifesto de cientistas confirma que animais são seres conscientes


Nós não somos tão superiores assim: será um marco para um novo tipo de relacionamento com os animais?
por Redação Galileu

O Pug Existencialista e suas rugas de preocupação //Crédito: ShutterStock


A suspeita que a grande maioria dos donos de animais de estimação sempre teve acaba de ganhar um reforço de respeito. Um grupo de cientistas de renome mundial publicou um manifesto atestando que os animais possuem um grau elevado de consicência. E a afirmação vai muito além de cachorros e gatos fofinhos.

Com um nome digno daqueles tratados que entram para os livros de História, a Declaração de Cambrigde sobre Consciência talvez seja o primeiro grande passo que a Humanidade dá em direção à uma relação mais humana (e menos estúpida) entre homens e bichos. Os animais citados no texto são pássaros, polvos (único não vertebrado da lista) e todos os mamíferos existentes. De acordo com os cientistas, “a ausência de um neocórtex não impede que os animais experimentem estados de afeto”. Do ponto de vista evolutivo, o neocórtex é a parte mais recente do nosso cérebro – esse detalhe anatômico é o culpado por cientistas se negarem por tanto tempo a admitir a consciência em animais não-humanos.


Clique aqui  para ler a reportagem completa:

http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI317146-17770,00-MANIFESTO+DE+CIENTISTAS+CONFIRMA+QUE+ANIMAIS+SAO+SERES+CONSCIENTES.html

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Missão Beagle Defensores de animais protestam neste domingo contra uso de cães em testes de laboratór


Missão Beagle

Defensores de animais protestam neste domingo contra uso de cães em testes de laboratório

16 de agosto de 2012 às 6:00

Por Fátima Chuecco (Da Redação)

Beagles com apenas seis meses de idade passam pelos experimentos (Foto: Reprodução)
Quem se emocionou com a libertação dos 2, 5 mil beagles do criadouro Green Hill da Itália e dos que restaram dos testes realizados na Universidade Estadual de Maringá – UEM (PR), tem agora a chance de participar de uma manifestação visando o término da utilização desses cães em institutos de pesquisa e universidades brasileiras. No próximo domingo, dia 19, um comboio partirá por volta das 9h do Masp (SP) em direção à cidade de São Roque, onde funciona um dos estabelecimentos que testa drogas em animais incluindo beagles: o Instituto Royal. Em São Roque a concentração será na Praça da República, próxima à Agroverde.

Cartaz da manifestação doa dia 19 de agosto (Foto: Divulgação)


Vale ressaltar que todos os testes ainda mantidos nos cães já possuem métodos substitutivos (muitos in vitro) e que, no caso particular dos beagles, são usados animais bem jovens, por volta de seis meses de idade, totalmente inocentes, carentes e ávidos por brincadeiras. A infância desses filhotes é transformada num inferno de medo e dor a partir do momento que são obrigados a inalar substâncias tóxicas e receber nos olhos drogas que causam irritação e até corrosão da pele.
Denúncias de que 75 beagles foram entregues no Instituto Royal há cerca de um mês e de que até o CCZ de São Roque também está enviando vira-latas para experimentação animal motivaram um grupo de protetores independentes a articular a manifestação de domingo visando o término desse doloroso martírio. A luta pela libertação dos beagles começa pelo Instituto Royal mas, segundo os ativistas, pretende atingir todos os estabelecimentos onde diversos testes com animais já poderiam ser substituídos por outros que não dependem da vivissecção (que significa cortar vivo).
Os testes e as alternativas

Imagem mundialmente usada para mostrar o sofrimento dos beagles nos laboratórios (Foto: Reprodução)



Em geral, os testes com beagles são de toxidade oral, irritação aguda ocular, irritação aguda dérmica e toxicidade reprodutiva (nesse caso é avaliada quanto a substância afeta a capacidade do indivíduo em se reproduzir, seja atrofiando seus órgãos genitais, dificultando a produção de gametas ou diminuindo a libido). Os efeitos são devastadores e incluem náuseas, convulsões, diarreias, dificuldade respiratória, entre outros.
“Os beagles são dóceis, mas esse não é o principal motivo para serem usados. Cães SRD possuem muita variabilidade genética que não é adequada para testes de toxicologia. Animais com perfil genético semelhante proporcionam dados mais agrupados. Mas isso só mostra que esses resultados são resposta para esse perfil genético. Considerando que não somos beagles não há muita utilidade neles”, comenta o biólogo Sérgio Greif, autor da obra “Alternativas ao Uso de Animais Vivos na Educação – Pela Ciência Responsável”.

Beagles bem jovens inalam forçosamente fumaça tóxica (Foto: Reprodução)





Greif diz que para os testes de irritação ocular, por exemplo, há uma centena de metodologias que não utilizam animais: “A maioria delas envolve o uso de células animais isoladas in vitro e sistemas organotípicos, mas até a germinação de uma espécie de leguminosa (Canavalia sp.) já se mostrou mais efetiva para prever o que aconteceria ao olho humano do que olhos de coelhos albinos ou de outros animais”.
Segundo o biólogo, outro recurso que pode ser utilizado em testes toxicológicos é a simulação computacional: “Com base na conformação fisica da molécula do tóxico é possivel se prever em quais sitios de ligação ela vai se ligar. Essas informações podem ser cruzadas com informações armazenadas em um banco de dados que, com base na estrutura da molécula, pode determinar que efeitos ela terá sobre o organismo”.
Os beagles são ainda forçados a inalar fumaça para testes para indústrias de cigarro. “Apesar de já estarem evidenciados os riscos que o fumo traz à nossa saúde, continuam utilizando animais na investigação dos efeitos do tabagismo. É simplesmente inaceitável que se justifique a inalação forçada de fumaça, por animais de laboratório, como forma de se avaliar os efeitos da nicotina e alcatrão sobre a saúde humana”, explica Greif.
Na contramão da Nova Ciência

Beagle libertado na Espanha por grupo de ativistas (Foto: Reprodução)



Em 2010 o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) promoveu uma campanha com a mensagem “Sem animais, não há pesquisa”. Um dos maiores propagandistas da campanha foi o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e presidente da Federação Latino-americana de Biofísica, Marcelo Morales. Na ocasião ele declarou ao Correio Braziliense (23/07/2010): “As pessoas precisam compreender a necessidade da experimentação animal. A ideia é conscientizar a população sobre a importância do uso de cobaias para o desenvolvimento de medicamentos e tratamentos”.
A discussão em torno da manutenção da experimentação animal ganhou fôlego e também “pegou fogo” por conta da Lei 11.794 também conhecida como Lei Arouca sancionada em 2008. A partir de então, todos os centros de experimentação animal precisaram criar Comissões Éticas no Uso de Animais (Ceuas) para autorizar (ou não) os procedimentos. As comissões devem avaliar o grau de sofrimento dos animais e se os resultados esperados pela pesquisa justificam sua realização. Em cada Ceua deveria ter pelo menos um membro de ONG de Proteção Animal, mas ocorre que, para o protetor membro do Ceua, pode se tratar de uma luta solitária e em vão contra uma maioria de pesquisadores afirmando a necessidade de um determinado teste em animais.
Para muitos, a Lei Arouca tem um aspecto positivo que é o controle de abusos (excesso de animais utilizados e muitas vezes sem anestesia) e a proibição de testes para cosméticos, mas para um grande grupo a lei veio apenas legalizar ainda mais os testes e, quando muito, impor alguns procedimentos que visam o bem-estar da cobaia como se isso fosse possível num ambiente hostil, solitário, muitas vezes impedindo a mobilização do animal e em meio a aplicações de sustâncias tóxicas e letais. É por isso que o grupo de protetores que está articulando uma série de manifestações pelos beagles declara: “É legal, mas é imoral”.
Conforme muitos dos pesquisadores da Nova Ciência, a medicina se atrasa na busca de curas de doenças testando em animais diferentes do homem. Organismos diferentes reagem de forma diferente a medicamentos e tratamentos. A própria condição em que os animais são mantidos nos laboratórios afeta consideravelmente os resultados de uma pesquisa uma vez que o medo, a angústia e a depressão liberam substâncias no organismo das cobaias que comprometem a ação das drogas.
Mas se não é tão útil por que fazem?

Beagles sendo libertados do criadouro Green Hill (Foto: Reprodução)
Para muitos ativistas da causa animal, a experimentação animal tem como objetivo alimentar toda uma rica indústria que vende produtos e equipamentos para biotérios, além de amenizar as responsabilidades de laboratórios que lançam no mercado produtos que mais tarde poderão prejudicar seres humanos. “Por exemplo: se um xampu infantil queima os olhos de uma menina, isso é visto como uma fatalidade, pois, testes realizados em olhos de coelhinhos mostraram que o produto é seguro”, explica Greif.
“Os testes em animais não podem prever esses efeitos e a indústria sabe disso, mas continua investindo em experimentação animal para prevenir futuros processos. Assim, todas as pessoas que vierem a falecer em decorrência do uso de um medicamento tornam-se fatalidades. Números aceitáveis frente aos possíveis benefícios do medicamento”, completa. Ele diz ainda que, se hoje transplantes de órgãos podem ser realizados com maior sucesso e existem vacinas um pouco mais seguras, foi porque ao longo dessas últimas décadas esses tratamentos foram testados em seres humanos, muitas vezes, às custas de suas vidas e saúde.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

(vídeo) Beagles usados em pesquisas da UEM são liberados pela Justiça

vídeo em,
http://g1.globo.com/parana/noticia/2012/07/beagles-usados-em-pesquisas-da-uem-sao-liberados-pela-justica.html
27/07/2012

Na quinta-feira (26) eles foram entregues a entidade protetora de animais.
Experimentos foram suspensos após denúncia que cães eram mal tratados.
Do G1 PR, com informações da RPC TV Maringá


A Justiça determinou que os seis cães da raça beagle e três vira-latas que eram usados para experimentos do curso de Odontologia da Universidade Estadual de Maringá (UEM) fossem liberados do canil da universidade. A decisão da 5ª Vara Cível de Maringá é de quinta-feira (26) e na noite do mesmo dia eles foram entregues a entidade protetora Anjos dos Animais . O uso de animais em experimentos também foi proibido.

Na manhã desta sexta-feira (27), muitas famílias foram visitar os cães com a intenção de adotá-los. A ONG vai fazer uma seleção das famílias que poderão adotar os beagles. Por enquanto, eles vão continuar na instituição e depois de passarem por exames de saúde poderão ir para um novo lar.
Mariana Terra, de sete anos, é uma das candidatas a ficar com um cãozinho e está ansiosa. "Ontem ela já fez uma lista de nomes e o escollhido foi Tody", contou o irmão dela, André Rodrigues. Afagando o beagle, a menina disse: "Ele é bem calminho assim. Eu, meu irmão e a minha mãe vamos cuidar bem dele".
Segundo a presidente da ONG, Eloisa Murta, os cães estão muito felizes. "Eles estão alucinados, Correndo pra tudo quanto é lado, cheirando tudo, estão felizes da vida", contou. Eles devem continuar na ONG por pelo menos mais três semanas e então poderão ser levados.

(...) veja o texto completo em
http://g1.globo.com/parana/noticia/2012/07/beagles-usados-em-pesquisas-da-uem-sao-liberados-pela-justica.html

quarta-feira, 18 de julho de 2012

(Testes) Polícia italiana interdita criadouro Green Hill e apreende 2,5 mil cachorros

Polícia italiana interdita criadouro Green Hill e apreende 2,5 mil cachorros
Os animais eram utilizados para pesquisas científicas. As autoridades italianas investigam denúncias de maus-tratos
REDAÇÃO ÉPOCA, COM AGÊNCIA EFE


Foto da operação da polícia publicada na página do movimentoOccupy Green Hill  no Facebook (Foto: Reprodução)



A polícia italiana interditou nesta quarta-feira (18) as instalações da empresa Green Hill, que cria cachorros para pesquisas científicas, pela suspeita de crime de maus-tratos aos animais. A operação, que contou com mais de 30 agentes, é resultado de uma denúncia apresentada pelas associações Legambiente e Liga AntiVivisección (LAV) às autoridades judiciais da província de Brescia (norte da Itália).
Além de lacrar as instalações da Green Hill em Montichiari, os agentes também apreenderam aproximadamente 2,5 mil cachorros da raça beagle, tanto filhotes como adultos.
"Esperamos que as investigações possam esclarecer definitivamente as condições reais que estes animais eram tratados", afirmou o presidente de LAV, Gianluca Felicetti, em comunicado.
Segundo as associações de defesa dos animais, a Green Hill mantinha 2,5 mil cachorros para prática de dissecação de animais vivos, inclusive sem anestesia, com fins científicos.

Um dos cachorros libertados na ação das ONGs em abril (Foto: Reprodução/http://www.fermaregreenhill.net )





Veja reportagem completa

sábado, 30 de junho de 2012

Cachorro é devorado por ratos dentro de clínica no canil de Jaú, SP


Local foi interditado, mas os 250 cães e gatos não serão transferidos.
Centro de Zoonoses disse que veneno mata de 20 a 30 roedores por dia.
Alan Schneider
Do G1 Bauru e Marília

O canil municipal de Jaú (SP) foi interditado pelo Centro de Controle de Zoonoses na quinta-feira (28). O motivo seria a quantidade de ratos encontrada no local e a morte de um cachorro, vítima de atropelamento, que teve as patas e o pescoço devorados.
De acordo com o diretor do Centro de Zoonoses, Walter Túlio Stripari, o animal recolhido na rua estava sendo tratado na sala clínica do local. “Estamos fazendo uma reforma no chão e no forro e descobrimos que o terreno está cheio de ratos. O cachorro que morreu estava bem debilitado. Ou ele havia morrido ou os ratos atacaram com ele ainda vivo. Depois que começamos aplicar o veneno no canil, os roedores ficam desesperados que chegam a comer um ao outro por falta de alimento. No caso do cão, ele foi uma fonte de alimento”, contou.

Local tem 250 animais, entre cães e gatos, 120 acima da capacidade (Foto: Tuca Melges/Jornal Comércio do Jahu)


veja aqui a reportagem completa

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Suspeita de maus-tratos a animais proíbe rodeios em Jaboticabal, SP


ONG denunciou empresa que promove evento por uso de sedém.
Se descumprir acordo, organizadora pode pagar multa de R$ 62,2 mil.
Rodolfo Tiengo
G1 Ribeirão e Franca

Peão é derrubado pelo touro em rodeio de
Jaboticabal (Foto: Reprodução/EPTV)

A empresa organizadora dos rodeios emJaboticabal (SP) está proibida de promover eventos do gênero na cidade depois que uma entidade protetora dos animais entrou com uma denúncia de maus-tratos no Ministério Público.
A proibição, que também tem validade nos municípios de Taiaçu e Taiúva, foi oficializada por um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado em 15 de junho entre a H1 Promoções Artísticas e Marketing e a Promotoria do Meio Ambiente, durante a realização do Jaboticabal Rodeio Show, que completou dez anos em 2012.

veja ao texto completo aqui

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Rib. Preto: MP quer vetar maus-tratos em rodeios


A Cão Paixão já se posicionou a favor do termo de ajuste; a prefeitura deve emitir um parecer até o dia 10 de julho
Marcelo Fontes
Foto: 30.abr.2009 - J.F. Pimenta / A Cidade

Caso o TAC seja assinado, os rodeios se tornarão coisas do passado, em Ribeirão Preto

O Ministério Público propôs um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) à Prefeitura de Ribeirão Preto para tentar acabar com os maus-tratos contra os animais em rodeios futuros que possam acontecer no município. Segundo a minuta do TAC, seria proibido o uso de sedém, espora, corda americana e qualquer outro tipo de objeto que faça o touro sentir dor.

Veja a reportagem completa aqui

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Manifestantes protestam em estádio durante show de Jennifer Lopez


A cantora foi declarada persona non grata no Chile

Ela está prestes a desembarcar no Brasil, mas anda enfrentando alguns problemas com os defensores dos animais.  Jennifer Lopez foi declarada persona non grata no Chile.

Uma organização que defende os direitos dos animais publicou protesto ao hábito da  estrela de peles de animais em seus trajes.



Veja mais aqui
http://ofuxico.terra.com.br/noticias-sobre-famosos/manifestantes-protestam-em-estadio-durante-show-de-jennifer-lopez/2012/06/20-141998.html

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Justiça condena prefeitura e rodeio a pagarem multa de R$ 631 mil


Nota sobre a notícia abaixo: A veterinária deve nos explicar porque que

vídeo em http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2012/05/justica-condena-prefeitura-e-rodeio-pagarem-multa-de-r-631-mil.html
26/05/2012

Eapic de São João da Boa Vista é acusada de maus tratos de animais.
Valor corresponde ao descumprimento de um decisão judicial de 2007.
Do G1 São Carlos e Região

 A Justiça condenou a organização da Exposição Agropecuária, Industrial e Comercial (Eeapic) de São João da Boa Vista e a Prefeitura a pagarem uma multa de R$ 631 mil por causa de procedimentos usados no rodeio, que são considerados agressivos aos animais.
O valor corresponde ao descumprimento de uma decisão judicial de 2007, que não autorizou a realização de provas de laços e as que derrubem os animais no chão. A determinação também proibiu o uso de esporas e o sedém, instrumento que pressiona o órgão genital do animal para que ele salte, por provocar sofrimento aos animais.

Documento destaca proibição do uso do sedém
(Foto: Reprodução/EPTV)

Vejam o restante do texto aqui

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Cães usados como cobaias na UFSM devem passar por nova cirurgia



16 de maio de 2012


Os animais usados no experimento de um doutorando de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) deverão passar por nova cirurgia e serão encaminhados à doação, de acordo com a Agência de Notícias de Direitos Animais (Anda). Segundo a agência, a determinação foi divulgada pelo reitor Felipe Müller, após reunião com a Comissão de Ética em Uso de Animais (Ceua) da instituição, na segunda-feira.

No início da semana, o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) notificou a universidade com pedido de informações sobre a aprovação da pesquisa pela comissão. O projeto do doutorando Cristiano Gomes, sob orientação do professor Ney Luis Pippi, consistiu em retirar parte de mandíbulas de cães cobaias saudáveis para fazer a reconstituição com placas de titânio.

Foto: Jean Pimentel, BD

http://wp.clicrbs.com.br/4patas/2012/05/16/caes-usados-como-cobaias-na-ufsm-devem-passar-por-nova-cirurgia/?topo=87,1,1,,,87

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Vídeo (da RBS TV) sobre os cães da UFSM

vejam o vídeo em http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2012/05/mp-investiga-maus-tratos-caes-cobaias-durante-pesquisa-na-ufsm.html
14/05/2012

Vanessa Felippe
Da RBS TV

O Ministério Público Federal e a Comissão de Ética em Uso de Animais da Universidade Federal de Santa Maria(UFSM) investigarão um projeto de doutorado em Medicina Veterinária que vem causando polêmica no município da Região Central do Rio Grande do Sul.
Com uma tese que estuda a reconstrução da mandíbula de cães, um doutorando realizou experimentos em 12 animais que serviram como cobaias – três deles tiveram de ser sacrificados após complicações.

Veja a reportagem toda aqui

MPF investiga abuso a animais em universidade federal


14/05/2012 -
Redação Bonde

O Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul (MPF-RS) instaurou, no dia 10 de maio, Procedimento Administrativo Cível para apurar denúncias de abusos e maus tratos contra animais. As acusações são contra o Hospital Veterinário da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

De acordo com notícias que vêm sendo publicadas sobre o caso, estudantes e estagiários deixaram sem atendimento cães que se submeteram a cirurgias para implantação de prótese de titânio na boca. Imagens enviadas ao jornal local mostram animais trancados em gaiolas, deitados em meio à própria urina, com pratos de ração virados e vazios, em um ambiente sem condições de higiene.


Veja o texto integral da reportagem aqui

UFSM- RS: Mais violações descobertas na área de experimentos com animais

fonte: http://contatoanimal.blogspot.com.br/2012/05/
Pedimos a todos que, mesmo à distância, estejam dispostos a colaborar, enviando mensagens de protesto. Instruções logo abaixo.

Nesta segunda-feira, outra manifestação será realizada em frente da Reitoria


Diga não à vivissecção

UFSM Universidade de Santa Maria - RS - Mais violações descobertas na área de experimentos coma animais



Ao que tudo leva a crer, a organização da sociedade e o movimento de conscientização que, durante 3 meses precedeu a realização da II Manifestação Nacional Anti Vivissecção, no último dia 28 de abril, abriu as portas para que toda uma série de denúncias começassem a vir a público.

Ainda sob o impacto das revelações sobre os inadmissíveis abusos e violações cometidos na UNISA, eis que as denúncias sobre a Universidade de Santa Maria, no RS, invadiram as páginas dos jornais brasileiros.
O primeiro a dar à sociedade conhecimento dos fatos foi o jornal Zero Hora
Para que todos se mantenham conscientes do que ainda acontece Brasil afora, nos "bastidores das academias" de terceira categoria, segue aqui o link em questão:.
 http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2012/05/experimentos-com-animais-revoltam-alunos-da-universidade-federal-de-santa-maria-3753990.html
A matéria, que recebeu o título de "Experimentos com animais revoltam alunos da Universidade Federal de Santa Maria", revela como um de seus estudantes, amparado por seu "orientador", removia parte das mandíbulas e maxilares de cães para implantação de placas de titânio.
Além da evidente inutilidade do "procedimento", objeto de "pesquisa" de um doutorando da Pós-Graduação de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) , fotos enviadas à midia evidenciaram os flagrantes maus tratos dos inúmeros cães submetidos.
E, como não podia deixar de ser, tanto a coordenação da pós-graduação em Medicina Veterinária quanto a direção do Hospital Veterinário e a reitoria da UFSM não tinham conhecimento dos desdobramentos da pesquisa sobre câncer de boca em cães.
Trata-se do já clássico "eu não sabia de nada" ....



Desde que se teve ciência do que ocorre na universidade, as manifestações de ativistas tem sido incessantes. Houve um primeiro dia de protestos em frente à faculdade, onde mais de 4 mil assinaturas foram recolhidas pelos organizadores do ato.
Algumas imagens podem ser visualizadas em:
 http://www.facebook.com/photo.php?fbid=290133091079648&set=a.290086737750950.67613.100002488772852&type=1&theater

A acreditar na veracidade do que foi informado, o MPF já estaria envolvido na apuração das responsabilidades:
 http://direitosdosanimaisemeioambiente.blogspot.com.br/2012/05/maus-tratos-de-caes-na-universidade.html

Ainda segundo notícias da imprensa, também o IBAMA já teria se comprometido com a averiguação e apuração de responsabilidades do ocorrido:
 http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/dsm/19,18,3755442,Ibama-deve-notificar-a-UFSM-em-caso-de-pesquisa-com-caes.html

Novo ato, neste mesmo sentido, está programado para amanhã, 2a feira, como neste momento antecipado na midia especializada:
 http://direitosdosanimaisemeioambiente.blogspot.com.br/2012/05/ongs-fazem-protestos-contra-pesquisa-da.html?spref=fb

Estamos acompanhando o passo deste descalabro através da Luciana Camillo, nossa organizadora da Manifestação Anti Vivissecção em Santa Maria em 28 de abril, diretamente envolvida nos atos de protesto e providências tomadas no cidade com relação a mais esta infâmia, da qual todos os responsáveis tentam agora se eximir de responsabilidade.

Por sua solicitação, pedimos a todos que, mesmo à distância, estejam dispostos a colaborar, seguindo a orientação do pedido que ela nos transmitiu:

-envio de e-mails (educados) para os seguintes destinatários:
Reitor: Prof. Felipe Martins Muller
e-mail do gabinete:  gabinete.ufsm@gmail.com
Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEA)
 concea@mct.gov.br
Ministério de Ciência e Tecnologia
 webascom@mct.gov.br

Em função, não apenas desta, como da situação jurídica que afeta todos os animais no Brasil, especialmente no âmbito da experimentação animal, peço a todos que quiserem DE FATO tentar nos aproximar um pouco mais de um código penal que abra espaço para o entendimento abolicionista dos direitos dos animais, que escrevam para o link do Senado especificamente destinado às sugestões sobre o atual código penal brasileiro, para o que uma comissão de juristas vem se reunindo desde o último dia 07 de maio.
Entre no link abaixo e, por favor, exija que os animais passem a ter o estatuto jurídico de SUJEITOS, com direito à proteção legal idêntica conferida aos humanos:
 http://www.senado.gov.br/senado/alosenado/codigo_penal.asp

domingo, 13 de maio de 2012

MPF investiga abuso a animais em universidade federal


HOSPITAL VETERINÁRIO
O Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul (MPF-RS) instaurou, no dia 10 de maio, Procedimento Administrativo Cível para apurar denúncias de abusos e maus tratos contra animais. As acusações são contra o Hospital Veterinário da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

De acordo com notícias que vêm sendo publicadas sobre o caso, estudantes e estagiários deixaram sem atendimento cães que se submeteram a cirurgias para implantação de prótese de titânio na boca. Imagens enviadas ao jornal local mostram animais trancados em gaiolas, deitados em meio à própria urina, com pratos de ração virados e vazios, em um ambiente sem condições de higiene.

Veja aqui o texto integral

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Maus-tratos de cães na Universidade Federal de Santa Maria são investigados pelo MPF


Pesquisa polêmica 11/05/2012 |

Maus-tratos de cães na Universidade Federal de Santa Maria são investigados pelo MPF
Inquérito para apurar experimento realizado na UFSM foi aberto na quinta-feira


Denúncias mostraram cachorros em situação precária, mas doutorando nega maus-tratos aos animais
Foto: Jean Pimentel / Agencia RBS
O Ministério Público Federal (MPF) abriu um inquérito, ontem, para apurar o que aconteceu com os cães que teriam sido vítimas de maus-tratos em decorrência de um experimento feito por um aluno da pós-graduação do curso de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Nesta sexta-feira, o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) deve decidir se iniciará um processo para também verificar o que ocorreu com os animais.

Leia mais aqui
ZERO HORA



quinta-feira, 10 de maio de 2012

(cães) Experimentos com animais revoltam alunos da Universidade Federal de Santa Maria

Cães cobaias 10/05/2012 |

Experimentos com animais revoltam alunos da Universidade Federal de Santa Maria
Projeto na UFSM removia parte de mandíbulas e maxilares para colocação de placas de titânio

Denúncias mostraram cachorros em situação precária, mas doutorando nega maus-tratos aos animais
Foto: Jean Pimentel / Agencia RBS

É inquestionável o avanço que as pesquisas científicas têm proporcionado no desenvolvimento da medicina humana e veterinária.

Mas muitos desses estudos, que utilizam experimentação animal, são polêmicos e deixam indignados quem simpatiza com os bichos.

Em Santa Maria, o projeto de um doutorando da Pós-Graduação de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) revoltou alunos, funcionários e professores do curso.


ZERO HORA
Leia aqui o restante da matéria


domingo, 29 de abril de 2012

(Campinas) Luta contra crueldade animal reúne 50 ativistas no Taquaral


Em Campinas, a concentração ocorreu das 15h às 17h30, na entrada principal da Lagoa do Taquaral, e reuniu 50 ativistas no local

29/04/2012
Daniela Nucci   DA AGENCIA ANHANGUERA

Os participantes levaram faixas e bunners com informações sobre o assunto e usaram camisetas pretas
(Foto: France Press)


Indignação e informação. Este foi o lema da II Manifestação Nacional Antivivissecção e Experimentação Animal no Brasil realizada sábado (28), simultaneamente, em todo o País. Quarenta e sete cidades participaram do protesto que chamou a atenção para o uso de animais vivos em experimentos científicos invasivos e testes cosméticos.

Em Campinas, a concentração ocorreu das 15h às 17h30, na entrada principal da Lagoa do Taquaral, e reuniu 50 ativistas no local. 'O nosso objetivo é promover a correta informação sobre este assunto. As pessoas sabem sobre os maus tratos aos cães de rua, por exemplo, mas não sabem que os animais são torturados em testes de medicamentos e produtos de beleza. Queremos alertar para que as pessoas tomem conhecimento desses procedimentos' , disse o organizador do protesto, o ativista independente João Manoel Aguilera Junior. Segundo ele, muitas universidades possuem locais onde se criam animais para serem vítimas de experimentos. 'Isso é um absurdo. A vivissecção é uma fraude científica. O modelo animal não pode ser comparado ao ser humano. O homem não é um rato' , comentou Junior.

Os participantes levaram faixas e bunners com informações sobre o assunto e usaram camisetas pretas, para simbolizar o luto pelos animais mortos durante experimentos. Além disso, foram distribuídos panfletos esclarecendo sobre os principais métodos de experimentação e uso de animais vivos em experiências e testes. A população foi informada sobre a necessidade de abolir tais procedimentos.

A artista plástica e também ativista, Maria do Carmo Penteado de Camargo, abraçou a causa e soube da ação através da rede social. 'Soube do movimento pelo facebook. Este protesto é muito importante embora tenha contado com uma pequena participação do público. Muitos não sabiam do assunto' , disse Maria do Carmo. Para ela, o ato de vivissecção e experimentação animal foge dos princípios naturais. 'Querem utilizar animais que fisiologicamente são diferentes do ser humano. Não tem nada a ver. Os animais são judiados e torturados durante anos em situações absurdas' , completou a artista plástica.

http://www.rac.com.br/noticias/campinas-e-rmc/127101/2012/04/29/luta-contra-crueldade-animal-reune-50-ativistas-no-taquaral.html

sexta-feira, 27 de abril de 2012

ONGs prometem suspender rodeios na região de Ribeirão Preto, SP


Defensores de animais alegarão maus-tratos para convencer juízes.
Em Ribeirão, Justiça concedeu liminar contra esporas, choques e sedém.
Adriano Oliveira
Do G1 Ribeirão e Franca


Boi que seria utilizado em montaria no Ribeirão
Rodeo Music (Foto: Adriano Oliveira/G1)
Rodeios na região de Ribeirão Preto (SP), onde são realizadas algumas das principais festas do peão do país - como a de Barretos (SP) -, estão ameaçados. Organizações não-governamentais (ONGs) de proteção animal prometem recorrer à Justiça para conseguir suspender as provas com argumentos semelhantes aos usados nesta quinta-feira (26), quando uma decisão da 2ª Vara Cível cancelou as montarias no Ribeirão Rodeo Music.
A liminar concedida em favor da Associação Focinhos estipulou multa diária de R$ 50 mil caso o evento utilize instrumentos que possam caracterizar maus-tratos aos animais no rodeio. O texto cita peças como cordas, pateiras, esporas, choques elétricos, laços e o sedém – instrumento que pressiona o órgão genital do animal para que ele salte.

Veja a reportagem na íntegra aqui

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Expoloração e venda de animais em Tatuí (SP)

Nota sobre a notícia abaixo: é lamentável, que, com tantos animais abandonados nas ruas, há pessoas que querem lucrar com a venda de filhotes.
Sugerimos que as pessoas não comprem filhotes, mas adotem...
João
--------------------------------------
Cobra será atrativo em exposição de animais exóticos em Tatuí, SP
EM 11 DE ABRIL DE 2012 AS 08H40

O evento será realizado nos dias 14 e 15.
Além dos répteis, haverá exposição de cães e coelhos exóticos.
Fonte: G1
Crédito: Renato de Oliveira/ Arquivo pessoal

Filho do promotor de eventos Renato brinca com animais
No próximo fim de semana, dias 14 e 15, será realizada a 2ª Exposição Internacional de Pequenos Animais e Filhotes em Tatuí (SP). O evento será no Clube AA XI de Agosto.
Um dos atrativos da exposição será a cobra da espécie Phyton Reticulatus, que é considerada a maior do mundo. Segundo dono do animal e promotor do evento, Renato de Oliveira, o exemplar tem 13 anos e está com 4,80 metros. O réptil, com 40 quilos, é nascido e criado em cativeiro. “Será um dos atrativos para a criançada. Na exposição, as pessoas poderão tirar fotos e até carregá-la sem problemas nenhum”, afirma Renato.

Leia o restante do texto aqui

terça-feira, 3 de abril de 2012

Fórum na Unicamp: Questões Éticas no Uso de Animais” dia 19/04/2012


Local: Auditório do Centro de Convenções da UNICAMP
Data: 19 de Abril de 2012
Horário: das 9h00 às 17h00

Organizadores:
Dr. Rovilson Gilioli, Dra. Delma Pegolo Alves, Profa.Dra. Ana Maria Aparecida Guaraldo, Profa. Dra. Ítala Maria L. D’Ottaviano, Prof. Dr. Stephen Hyslop.

Sobre o evento:
Os ensaios experimentais utilizando modelos animais de laboratório propiciam o desenvolvimento das pesquisas médicas-biológicas em busca de conhecimentos científicos que possam propiciar melhorias na saúde e qualidade de vida dos seres humanos e mesmo dos animais. Assim, ao longo da história a pesquisa biomédica tem contribuído para o aumento dos conhecimentos sobre a biologia das espécies humana e animal e na busca de novos modelos para estudos e esclarecimentos dos mecanismos de novas doenças. No entanto, os procedimentos experimentais com animais vivos geram conflitos e importantes discussões sobre as questões éticas de seu uso. Uma legislação para a proteção, defesa e preservação dos animais utilizados em ensaios experimentais é de fundamental importância, enquanto não se pode substituir plenamente o uso destes modelos no desenvolvimento científico e tecnológico, que se faz por meio da aquisição de novos conhecimentos, promoção do bem estar e uso ético dos animais de laboratório.

PROGRAMA

8:30hs – Credenciamento

9:00hs – Abertura
Profa. Dra. Carmen Zink Bolonhini - Assessora da Coordenadoria Geral da UNICAMP
Profa. Dra. Ítala Maria Loffredo D” Ottaviano – Coordenadora da COCEN
Dr. Rovilson Gilioli – Diretor do CEMIB
Profa.Dra. Ana Maria Aparecida Guaraldo – Presidente da CEUA-IB – Unicamp e docente do Departamento de Biologia Animal-IB-Unicamp

9h30 – 10h30 -Ética na Experimentação Animal
Dra. Vera Peters, UFJF, presidente eleita da SBCAL/Cobea.

10h30-10h50 - Coffee-break

10h50-12h - Legislação Brasileira e regulamentação do uso de modelos animais de laboratório
Prof. Dr. Marcelo M. Morales - MD, PhD, Professor Associado, UFRJ, coordenador do CONCEA/MCT.

12:00-13:30 - Almoço

13:30h-14h30- Alternativas ao uso de modelos animais vivos
Prof. Dr. Octávio Augusto França Presgrave - Departamento de Farmacologia e Toxicologia, INCQS, FIOCRUZ/RJ.

14h30-15h00 - Uso didático de animais na graduação: as perspectivas da substituição total
Prof. Dr. Thales de A. e Tréz, UNIFAL/MG, 1rnet.org.

15h00-15h20 - Coffee-break

15h20-16h20 - Experimentação animal: aspéctos jurídicos
Dr. Laerte Levai – Promotor Público, Ministério Público do Estado de São Paulo.

16h20-17h10 - Mesa redonda: Discussão final
Profa. Dra. Vera Peters – presidente SBCAL (Valderez Bastos V. Lapchik-UNIFESP, ex-presidente da SBCAL)
Profa. Dra. Ana Maria A. Guaraldo – presidente da CEUA/IB/Unicamp
Profa. Dra. Nádia Faraj – IFCH/Unicamp
Prof. Dr. Marcelo M. Morales - Coordenador do CONCEA/MCT
Dr. Laerte Levai – Promotor Público, Ministério Público do Estado de São Paulo
17h10 - Encerramento
Dr. Rovilson Gilioli, Coordenador, Diretor do CEMIB/UNICAMP

INSCRIÇÕES ABERTAS
"Fórum de Ciência e Tecnologia"


fonte:
http://foruns.bc.unicamp.br/tecno/tecno49.php

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Anúncio contra testes com animais é banido por 'violência injustificada'

02/04/2012
Imagem mostra mulher sendo perfurada por cachorro.
Campanha é assinada por grupo de defesa de direitos dos animais.
Do G1, em São Paulo

Um anúncio contra o uso de animais em testes de laboratório foi banido por um órgão regulador de propagandas na Austrália. O motivo da proibição foi a “violência gráfica injustificada” do anúncio.
A imagem mostra o rosto de uma mulher sendo perfurado por um objeto segurado pela pata de um cachorro. O texto diz que os testes causam “inchaços, bolhas, úlcera, cegueira, agonia e morte”. A campanha é assinada por um grupo de defesa de direitos dos animais chamado Tasmânia Contra a Crueldade Animal.

Anúncio diz, ironicamente, que testes em humanos 'não vão doer nada' (Foto: Reprodução/Mumbrella)

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2012/04/anuncio-contra-testes-com-animais-e-banido-por-violencia-injustificada.html

quinta-feira, 22 de março de 2012

(RS) VANGUARDA ABOLICIONISTA E ATIVISTAS APOIADORES PROTESTAM NO INTERNATIONAL MEETING OF LABORATORY ANIMAL

Fotos: RSantini (vejam as fotos em
http://www.vanguardaabolicionista.com.br/index.php/acoes/22-2012/521-vanguarda-abolicionista-e-ativistas-apoiadores-protestam-no-international-meeting-of-laboratory-animal)

Ativistas realizaram ato de protesto na porta do auditório do Creal/Ufrgs

Às 8h desta segunda-feira, dia 19 de março, os grupos Vanguarda
Abolicionista, com apoio do Porto Alegre Melhor e Veganos do Coração,
e ativistas apoiadores, estiveram realiznado protesto em frente ao
International Meeting of Laboratory Animal, simpósio sobre testes em
animais que ocorria na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Cerca de 15 ativistas levaram banners denunciando as torturas e
crueldades cometidas em nome da ciência, além de material impresso
informativo. Foram distribuídos cerca de mil folderes com trechos de
relatório contra o uso de animais em laboratórios, assinado pela Liga
Internacional de Médicos pela Abolição das Experiências em Animais, e
DVDs.


Saída dos participantes do evento, com segurança reforçada

Abordados, a maior parte dos participantes do simpósio se mostrou
receptiva às informações e posicionamento dos ativistas, apesar de uma
ouvinte do evento que gritou "e se seus filhos tivessem câncer?", sem
esperar para ouvir resposta. Em especial, duas outras inscritas no
simpósio se mostraram simpáticas à causa, conversando e pedindo
esclarecimentos. Com o início dos trabalhos no auditório do Centro de
Reprodução e Experimentação de Animais de Laboratório - Creal, os
manifestantes circularam pelo campus da universidade para panfletagem.
Na saída do evento, às 11h30min, VAL e demais ativistas se
posicionaram para mais uma movimentação às portas do simpósio. Dois
acadêmicos de BIologia, ao tomarem conhecimento da atividade, aderiram
à manifestação. O ato seguiu até meio-dia, com sucesso.


Siglas realizaram maciça pamfletagem pelo campus da universidade
Mais imagens em

http://www.vanguardaabolicionista.com.br/index.php/acoes/22-2012/521-vanguarda-abolicionista-e-ativistas-apoiadores-protestam-no-international-meeting-of-laboratory-animal

terça-feira, 20 de março de 2012

Prefeitura de Bragança Paulista apoia novamente o Rodeio da Morte

fonte: http://prod.midiaindependente.org/pt/blue/2012/03/505272.shtml

Como se não bastasse a morte de um peão que morreu pisoteado no ano
passado, neste evento grotesco que é a "Festa do Peão de Bragança" e
como se não bastasse a exploração cruel de animais que são torturados
para diversão fútil de seres humanos alienados, a Prefeitura de
Bragança Paulista decidiu este ano, apoiar novamente o evento.
Empresas sem compromisso com o meio ambiente, sem responsabilidade
social e sem respeito aos direitos humanos e dos animais, também
patrocinam o rodeio da Morte de Bragança Paulista (nós devemos
boicotar estas empresas, e nunca mais votar neste prefeito que apoia
rodeios).
Desta vez, o Prefeito de Bragança Paulista, João Afonso Sólis (vulgo
Jango), no seu afã de agradar a elite econômica pecuarista e
exploradora de animais autorizou o rodeio da Morte, mas foi obrigado a
ter que obedecer às exigências do Ministério Público que exige
proibições de instrumentos de tortura nos animais. Como sabemos que os
animais no rodeio não pulam se não estão com dor ou medo, e se os
animais não pulam se não são torturados, queremos ver como será este
rodeio.
Caso algum instrumento de tortura seja usado nos animais o responsável
que deverá responder criminalmente pela falta de fiscalização é o
Escritório de Defesa Agropecuária da Secretaria Estadual de
Agricultura e Abastecimento. Nós ativistas dos direitos dos animais
devemos estar lá para tirar fotos, filmar, documentar, e se for o caso
denunciar ao MP se houver alguma irregularidade.
Por outro lado devemos escrever para as autoridades locais e empresas
que apoiam ou patrocinam os rodeios através ação abaixo descrita.
------------------------------
AÇÃO URGENTE
Se você não concorda com o Rodeio da Morte de Bragança Paulista, ajude
a protestar. Para reforçar seus argumentos vejam estes sites:
http://www.marica.com.br/2005b/imagens/0109rodeio.htm e
http://www.odeiorodeio.com/site/

1) Escrevam para Prefeitura de Bragança Paulista, que apoia os
capitalistas que lucram com o rodeio:  faleconosco@braganca.sp.gov.br
faleconosco arroba braganca.sp.gov.br o nome do carrasco-prefeito é
João Afonso Sólis. Diga que os defensores dos animais não votam em
políticos que não respeitam os direitos dos animais.

2) Enviem mensagens de protesto para a Loja Humanitarian ?
Patrocinador oficial e ponto de venda de ingressos. Preencham um
formulário em  http://www.humanitarian.com.br/contato/
(Contraditoriamente a loja informa em seu site que seus valores são:
?Respeito, ética, responsabilidade, humanidade?... incrível não é
mesmo¿ Com tantos valores nobres apoiando o rodeio da morte...)

3) UFS (Universidade São Francisco) Imaginem só... uma Universidade
apoiando um evento de crueldade aos animais... Desta escola os alunos
devem fugir... Preencha um formulário no site desta instituição de
?educação? em  http://www.usf.edu.br/faleconosco/index.asp
-----------------------------

Veja mais aqui

sexta-feira, 16 de março de 2012

(Campinas) MOÇÃO DE REPÚDIO AO VEREADOR SÉRGIO BENASSI POR SUA AÇÃO CONTRÁRIA AOS DIREITOS DOS ANIMAIS

CMPDA Campinas
Boa tarde. Por decisão da Diretoria do CMPDA, emitimos hoje a seguinte Moção de Repúdio contra o vereador Sérgio Benassi:


Campinas, 16 de março de 2012

O Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais – CMPDA, que congrega representantes de entidades da proteção animal e ambiental, universidades, institutos de pesquisa, órgãos da Secretaria da Segurança Pública do Estado e da sociedade civil, vem a público manifestar nossa posição de repúdio à posição do vereador Sérgio Benassi, do PCdoB, de Campinas, em relação à moção e marcação de audiência pública favoráveis à permissão do uso de animais em rituais religiosos, em flagrante desrespeito às leis vigentes.
Pelos seguintes motivos:
1. Sob alegação de que se trata “de proposta inconstitucional e preconceituosa, que afronta a liberdade de culto de matriz africana exclusivamente”, o vereador Sérgio Benassi apresentou moção na Câmara Municipal de Campinas contra o Projeto de Lei estadual 992/2011, que proíbe o uso de animais em rituais religiosos. No entanto, ele enviesa toda a questão tentando claramente polarizar uma polêmica com finalidade eleitoral.

2. Sua ação visa o campo do preconceito racial, como se os integrantes do movimento de proteção animal fizessem parte de uma elite “branca”, que seria conivente com práticas similares de religiões de origem indo-européia e semita, suposição, por sinal, absurda, haja vista que o movimento de proteção animal é composto por pessoas de diferentes classes socioeconômicas, raças, idades e credos. É importante destacar que no seio da própria comunidade de adeptos das religiões de matriz africana, a grande maioria é contra à utilização de animais em seus cultos, excetuando-se a linha chamada “magia negra”.

3. Em sua tentativa original de tentar aprovar esta moção, o vereador Benassi não conseguiu seu intento, uma vez que, frente à reação das entidades da causa animal, o documento foi retirado de pauta na Câmara Municipal, por decisão dos demais vereadores.

4. No entanto, não satisfeito em ter a maioria da sociedade contrária a seu posicionamento e mesmo sem apoio dos demais vereadores, Sérgio Benassi usou os meandros da burocracia legislativa para tramitar sua proposta. Assim, marcou uma audiência pública às escondidas, convidando unicamente o deputado autor do Projeto de Lei, Feliciano Filho, do PV.

5. A audiência pública para a discussão do PL é inócua, porque o debate sobre o uso de animais em rituais religiosos está sendo discutida no âmbito da Assembleia Legislativa do Estado e não cabe qualquer interferência de Câmaras Municipais. Além disso, houve uma óbvia tentativa de orquestrar uma audiência parcial, já que representantes das ONGs de proteção animal, ambiental, e membros do CMPDA não foram informados ou convidados, como o foram representantes religiosos.

6. Sérgio Benassi tentou, com isso, usar regras legais, mas imorais e antiéticas, para aprovar às escondidas sua Moção a favor do uso de animais em rituais religiosos.

7. No entendimento da proteção animal de Campinas é claro o objetivo do vereador Benassi em provocar o embate liberdade de culto vs. proteção animal, para, com isso, mostrar-se como aliado político e defensor da causa dos adeptos dos cultos afro com propósitos de capitalizar o apoio dessa parcela da sociedade.

8. A legislação referente à proteção animal nas diferentes esferas –municipal, estadual e federal – garante a salvaguarda dos animais de práticas que causem dor e sofrimento. A lei federal 9.605, em seu 32º artigo define e estabelece punição inclusive com cadeia para os casos tipificados. É de conhecimento público que muitos animais usados em rituais são submetidos a intenso estresse e são mortos sem anestesia ou qualquer método de dessensibilização; o vereador alega que os animais sacrificados seriam usados no final dos ritos como alimento; contudo, mesmo animais destinados ao consumo têm seu abate regulamentado de modo a aliviar o estresse e eliminar a dor.

9. O vereador Benassi é reincidente em se posicionar contra a causa animal (ele é autor da emenda ao PL 885/07 que permitia a eutanásia de cães com histórico de mordedura após CINCO dias de permanência no CCZ), em flagrante desrespeito à cidadania, às entidades de proteção animal de Campinas e, ainda, à sua própria formação acadêmica, já que é veterinário, felizmente não praticante.

Flávio Lamas
Presidente do CMPDA
http://www.facebook.com/profile.php?id=100002402084144

terça-feira, 6 de março de 2012

Manifesto contra a Vivissecção

Manifesto contra a Vivissecção (Sergio Greif, biólogo, 17 de fevereiro de 2012)

Vivissecção é a prática cruenta de utilização de animais vivos com propósitos experimentais. Animais como camundongos, ratos, porquinhos-da-índia, hamsters, coelhos, sapos, aves, cães, gatos, macacos e animais de fazenda são submetidos a diferentes procedimentos destrutivos, tanto fisicamente quando psicologicamente. São exemplos destes procedimentos: realização de cortes e amputações, muitas vezes sem anestesia; ingestão, inalação ou injeção forçada de substâncias tóxicas; privação de água e alimentos ou de convívio social; condicionamento a determinadas reações mediante eletrochoques ou queimaduras; extração de materiais biológicos, etc.

A alegação mais comum para defender estas práticas é a de que seres humanos e animais domésticos são diretamente beneficiados por tais ações. Defende-se que, sem as pesquisas em animais, na atualidade o ser humano não disporia de vacinas, técnicas de transplantes, anestesias, nem das drogas que pretensamente tratam as diferentes doenças. As conseqüências disto seriam um declínio em nossa qualidade de vida, além de diminuição em nossa longevidade. Estas alegações são, no entanto, enganosas. Ocorre que, embora exaustivamente testados e aprovados em animais, todos os tratamentos acima enumerados se mostraram falhos, em sua fase de testes, em produzir efeitos promissores em seres humanos. Muitos deles, apesar da segurança comprovada em animais, produziram efeitos colaterais, e muitas vezes morte, em seres humanos.

Os experimentos prévios, realizados em animais, teriam a pretensa função de impedir que os primeiros seres humanos submetidos a determinado tratamento se tornassem “cobaias” da ciência. O que de fato ocorre, no entanto, é que experimentos em animais simplesmente são conduzidos para amenizar as responsabilidades de laboratórios que lançam no mercado drogas que mais tarde poderão vir a prejudicar seres humanos. É grande o número de drogas aprovadas pela FDA (o órgão responsável por permitir a comercialização de drogas e alimentos nos EUA) que são recolhidas das prateleiras no prazo de um ano após sua colocação no mercado. O motivo deste recolhimento é a detecção de efeitos colaterais na população humana, efeitos estes que não haviam sido detectados em testes em animais. Da mesma forma, embora a tecnologia de transplantes tenha sido toda desenvolvida com base na experimentação animal, os primeiros seres humanos submetidos a estas técnicas padeceram. Foi com base nessas experiências de transplante em seres humanos que deram errado, e não os estudos em animais, que se desenvolveram as técnicas de transplante de que dispomos hoje. Pode-se, então, deduzir que “cobaias” verdadeiras são seres humanos, sendo os animais meros adjuvantes de nossa crueldade.

Com efeito, parece curioso que poucas pessoas se questionem se realmente somos assim tão “dependentes” de todos estes tratamentos e supostos benefícios oferecidos pela medicina moderna. A indústria farmacêutica obtém seus lucros da venda de remédios, e por isso necessita convencer o cliente de que seus produtos são vitais para sua qualidade de vida. Trata-se de um negócio dos mais lucrativos, e como todo bom negócio, esta indústria se organiza em lobbies. Estes lobbies não limitam sua atuação apenas aos consultórios médicos, eles influenciam as políticas de virtualmente todos os governos, a educação formal e, por conseguinte, a forma como a população vê seus produtos.

Esforços são continuamente feitos para convencer a população de que o aumento em nossa expectativa de vida tem relação direta com a enorme disponibilidade de drogas e tratamentos de que dispomos atualmente. Curioso que fatores tais como melhores condições de moradia, de higiene, abastecimento de água limpa, saneamento, segurança alimentar, etc, fatores estes que também passaram a preponderar nas últimas décadas, são frequentemente negligenciados nesses informes em relação à nossa melhor qualidade e maior expectativa de vida.
Por outro lado, a compreensão de que dados obtidos experimentalmente de animais não podem ser extrapolados para seres humanos é simples: Ainda que partilhemos muitas características fisiológicas e metabólicas com os demais animais, é através das diferenças que as individualidades se manifestam. Desta forma, o organismo do ser humano não pode ser visualizado como o organismo do rato 200 vezes mais pesado; a dose letal de uma determinada substância para o rato não poderia ser determinada para o ser humano simplesmente multiplicando seu valor por duzentos. Ratos podem ser imunes a grandes quantidades de determinadas substâncias as quais com poucas gramas poderia se levar um ser humano saudável ao óbito. Drogas que produzem determinados efeitos em determinados animais podem produzir efeitos completamente diferentes em animais de outras espécies. Nem mesmo animais cujo metabolismo aparentemente se assemelha mais ao de seres humanos, como macacos e porcos, são bons modelos de experimentação, porque no que se refere a este assunto, não existe qualquer linearidade que confira cientificidade à extrapolação.

Mesmo entre seres humanos a extrapolação e generalização de dados mostra-se uma atividade perigosa, devido às variações genéticas que ocorrem dentro das próprias populações humanas. Drogas que se mostram efetivas para uma determinada parcela da população podem não ter qualquer efeito, ou no pior dos casos pode significar efeitos adversos, em outra parcela da população. Com efeito, admite-se que as drogas presentes no mercado são efetivas apenas para 30-50% da população. Daí concluir-se que mesmo o ser humano não representa modelo adequado para a pesquisa de medicamentos para a espécie humana. Outrossim, há que se criar drogas específicas com base na ciência genômica.

Por este motivo afirmamos a completa inutilidade científica da experimentação animal, como também nos preocupa que esta seja a base na qual apoiamos nossa ciência. Esta metodologia conduz ao erro, ao atraso, a dados errôneos, á má-interpretação, à incoerência, ao desperdício de vidas, humanas e animais. Desta forma, propomos a abolição da vivissecção em todos os seus níveis, bem como sua substituição por uma ciência mais humanitária e que se baseie em métodos que não utilizem animais, denominados métodos substitutivos.

Sergio Greif
17 de fevereiro de 2012

Data da manifestação
28 de abril de 2012, sábado, 15h.

Iniciativa: Cadeia para quem Maltrata os Animais
Apoio: Weeac
Organização Nacional: Norah André
Organização internacional: WEEAC – Dawn Groth

Cidades já confirmadas: (organizadores responsáveis, por localidade)

Rio de Janeiro – Wania McCartney

http://www.facebook.com/events/102584269865293/

São Paulo capital – Lilian Martins

http://www.facebook.com/events/178304675608724/

Brasília – Patricia El-Moor

http://www.facebook.com/events/297344816989265/

Curitiba – Amanda Simão, Hellen Heindyk, Marlene Chaves, Yanê Carvalho

http://www.facebook.com/events/146075898843567/

Florianópolis – Daniel Ribeiro

http://www.facebook.com/events/165051260271903/

Belo Horizonte – Janine Guido

http://www.facebook.com/events/177108889060638/

Salvador – Marco Luppi

http://www.facebook.com/events/337546809599878/

Campo Grande – Renata Costa

http://www.facebook.com/events/170657549709553/

Recife – MDA-PE

http://www.facebook.com/events/143653892419855/

Manaus – Ingrid Benton

http://www.facebook.com/events/203180553113957/

Teresina – Daniella Marreiros e APIPA

http://www.facebook.com/events/142247725894121/

Natal – Simone Lima

http://www.facebook.com/events/246530108756612/

Goiânia, GO – Patricia Magalhães

http://www.facebook.com/events/102444816548903/

Vitória, ES: Raphael Youth & Grupo Abolicionista pela Libertação Animal

http://www.facebook.com/events/247774755303414/

Fortaleza, CR – Geuza Leitão, UIPA

http://www.facebook.com/events/236612179761057/

Porto Alegre, RS: Cathy Souto Gaia, Sea Sheperd

http://www.facebook.com/events/306511529404998/

Sorocaba – COMISSÃO DE JUSTIÇA E DIREITOS DOS ANIMAIS

http://www.facebook.com/events/221449147944685/

Nova Friburgo – Alexandra Chevrand

http://www.facebook.com/events/315221098515228/

Niterói – Marcelo Pereira da Costa

http://www.facebook.com/events/171098952998982/

Maringá – Flavio Mantovani

http://www.facebook.com/events/342952659059225/

Tatuí, SP – José Franson

http://www.facebook.com/events/333998683290164/

Itapetininga, SP – Eliane Bazolli

http://www.facebook.com/events/142993549153143/

Caxias do Sul, RS – Silvana Santos

http://www.facebook.com/events/207817525981318/

Praia Grande, SP -

http://www.facebook.com/events/101591149967400/

Ribeirão Preto, SP – Viviane Alexandre, AVA

http://www.facebook.com/events/224135347675651/?context=create

Poços de Caldas, MG – Sheila Patresi

http://www.facebook.com/events/344008278954502/

Londrina, PR – Carolina Veríssimo

http://www.facebook.com/events/105272216269208/

Blumenau, SC – Sueli Amaral (Hachi ONG)

http://www.facebook.com/events/217764781652115/

Roraima – Nanci Bahia Diniz

http://www.facebook.com/events/252303718179021/

Caxambu, MG – Liana Bahia

http://www.facebook.com/events/283109921756463/

Bauru, SP – Gabriela Righetti

http://www.facebook.com/events/329868397058290/

Foz do Iguaçu, PR – Bruna Borba, Leandro Benhur Martins & Bioma Brasil – UMRAS

http://www.facebook.com/events/320926684619850/

Taubaté, SP – Cristina Lessa, Regina Flavio e Letícia Silva

http://www.facebook.com/events/231905490232235/

Campinas, SP: João Manoel Aguilera Junior.

http://www.facebook.com/events/322514827799328/

Barbacena, MG: Kenia Sfreddo

http://www.facebook.com/events/241949099221976/

Formiga, MG: Carol Reis & Associação Protetora dos Animais de Formiga/MG – APAF

http://www.facebook.com/events/372368846125797/

São José do Rio Preto, SP: Thais Cotês

http://www.facebook.com/events/274056619330813/

Campina Grande, PB:  Lorene Dias Ferreira, Rodrigo Freire Costa, Fórum Municipal de Proteção e Bem Estar Animal, e Fórum Estadual de Proteção e Defesa Animal do Estado da Paraíba.

http://www.facebook.com/events/221971611232942/

Jussipe, Chapada Diamantina, BA – Will Assunção

http://www.facebook.com/events/240385836055535/

Poderá também gostar de:
Dia Mundial Pelo FIM da Crueldade Animal
Hoje é dia de Festival Vegano, bebéêe!
Veganismo: como enfrentar as causas da crueldade animal
FAQ da campanha pró-vivissecção X coerência e direitos animais (Parte 4 e final)
LinkWithin
fonte:
http://vista-se.com.br/redesocial/2804-ii-manifestacao-nacional-contra-a-vivisseccao/